sexta-feira, 16 de julho de 2010

João Jiló

HÁ MUITO TEMPO, NUMA FAZENDA NÃO MUITO LONGE DAQUI, MORAVA UM MENINO CHAMADO JOÃO JILÓ. ELE ERA MUITO LEVADO, MALCRIADO E TEIMOSO. GOSTAVA DE FAZER MALDADES COM OS ANIMAIS, UM DIA, ELE ACORDOU E DISSE À SUA MÃE:

_ MÃE, HOJE EU ACORDEI COM UMA VONTADE GRANDE DE CAÇAR PASSARINHO, EU VOU SAIR E SÓ VOLTO QUANDO CONSEGUIR PEGAR UM BEM BONITO, GORDINHO E QUE DÊ PARA FAZER UM ENSOPADO BEM GOSTOSO, VIU?

A MÃE DE JÃO JILÓ LHE PEDIU:
_ MAS, MEU FILHO, EU JÁ CANSEI DE LHE FALAR QUE NÃO SE DEVE CAÇAR PASSARINHO! OLHE, A NATUREZA É MUITO BOA, MAS, QUANDO NÓS A MALTRATAMOS, ELA NOS CASTIGA. CUIDADO, JOÃO. FIQUE AQUI. DEIXE DE SER TEIMOSO!

MAS JOÃO JÁ ESTAVA RESOLVIDO. PEGOU SEU BODOQUE E SAIU CALADINHO. QUANDO CHEGOU A FLORESTA, LOGO ELE VIU UM PASSARINHO ESTRANHO. MUITO DIFERENTE MESMO. UM POUCO MAIOR QUE OS OUTROS PASSARINHOS E TODO COLORIDO. JOÃO PENSOU ALTO:

"QUE SORTE EU TENHO!"

E PEGOU UMA PEDRA, COLOCOU NO BODOQUE, MIROU BEM O PASSARINHO. QUANDO ELE IA ATIRAR, O PASSARINHO CANTOU:

_NÃO ME MATE NÃO JOÃO JILÓ!

EU VIM PRA CANTAR, JOÃO JILÓ!

SOU BICHINHO DO MATO, JOÃO JILÓ!

PARA PIAR!

MAS NÃO ADIANTOU, JOÃO JILÓ ATIROU E ACERTOU A CABECINHA DO PASSARINHO, QUE CAIU NO CHÃO COM AS PERNINHAS PRA CIMA.

ENTÃO, ELE PEGOU O PASSARINHO, COLOCOU DENTRO DA SACOLINHA E FOI PARA CASA. QUANDO CHEGOU EM CASA, FOI DIRETO PARA COZINHA. COMEÇOU A DEPENAR O PASSARINHO, QUANDO ELE CANTOU:

_NÃO ME DEPENE NÃO, JOÃO JILÓ!

EU VIM PARA CANTAR, JOÃO JILÓ!

SOU BICHO DO MATO, JOÃO JILÓ!
PARA PIAR!


E ADIANTOU? NÃO. AÍ QUE JOÃO JILÓ TIROU MESMO AS PENINHAS DO PASSARINHO. QUANDO O PASSARINHO FICOU TODO PELADINHO, JOÃO JILÓ ACENDEU O FOGO E JÁ IA SAPECÁ-LO, MAS ELE COMEÇOU A CANTAR:

_ NÃO ME SAPEQUE, JOÃO JILÓ!

EU VIM PRA CANTAR, JOÃO JILÓ!
SOU BICHINHO DO MATO, JOÃO JILÓ!

PARA PIAR!

JOÃO JILÓ NEM LIGOU! SAPECOU O PASSARINHO NO FOGO. DEPOIS, LEVOU O COIUTADINHO PARA A PIA, PEGOU UMA FACA ENORME PARA PARTIR O PASSARINHO, MAS ELE CANTOU:

_ NÃO ME PARTA, JOÃO JILÓ!
EU VIM PRA CANTAR, JÃO JILÓ!

SOU BICHINHO DO MATO, JOÃO JILÓ!
PARA PIAR!

ELE PARTIU O PASSARINHO ASSIM MESMO E O LAVOU BEM LAVADINHO. QUANDO ELE IA TEMPERAR O BICHINHO, ELE CANTOU:

_ NÃO ME TEMPERE NÃO, JOÃO JILÓ!
EU VIM PRA CANTAR, JOÃO JILÓ!

SOU BICHINHO DO MATO, JOÃO JILÓ!
PARA PIAR!

DEPOIS, JOÃO JILÓ, PEGOU UMA PANELA, COLOCOU ÓLEO, PÓS PARA ESQUENTAR, MAS, QUANDO IA FRITAR O PASSARINHO, ELE CANTOU:

_NÃO ME FRITA NÃO, JOÃO JILÓ!
EU VIM PRA CANTAR, JOÃO JILÓ!

SOU BICHINHO DO MATO, JOÃO JILÓ!

PARA PIAR!

ELE FRITOU O PASSARINHO. PEGOU UM PRATO, E, QUANDO IA COMÊ-LO, O PASSARINHO CANTOU:

_ NÃO ME COMA NÃO, JOÃO JILÓ!
EU VIM PRA CANTAR, JOÃO JILÓ!
SOU BICHINHO DO MATO, JOÃO JILÓ!
PARA PIAR!

ELE COMEU O PASSARINHO TODINHO DE REPENTE, A BARRIGA DE JOÃO JILÓ COMEÇOU A INCHAR... A INCHAR... E ELE OUVIU UMA VOZ VINDA LÁ DE DENTRO:

_ EU QUERO SAIR DAQUI, JOÃO JILÓ.
E JOÃO JILÓ RESPONDEU:
_ ENTÃO, SAIA PELO NARIZ!
E O PASSARINHO:
_ NO NARIZ TE MELECA.

E JOÃO JILÓ:

_ ENTÃO, SAIA PELO OUVIDO.
E O PASSARINHO:

_ NO OUVIDO TEM MUITA CERA.

E JOÃO JILÓ:
_ ENTÃO SAIA PELA BOCA.

E O PASSARINHO:

_ NA BOCA TEM SALIVA.

E A BARRIGA DE JOÃO JILÓ FOI INCHANDO, FOI INCHANDO, FOI INCHANDO E... BUM! EXPLODIU!

O PASSARINHO SAIU VOANDO CONTENTE E CANTANDO:

_ EU SOBREVIVI, JOÃO JILÓ!

EU VIM PRA CANTAR, JOÃO JILÓ!

SOU BICHINHO DO MATO, JOÃO JILÓ!

PARA PIAR!
JOÃO JILÓ FICOU ´LÁ COM A BARRIGA TODA ABERTA. TIVERAM DE CHANAR O MÉDICO, QUE COSTUROU A BARRIGA DAQUELE MENINO TEIMOSO.

JOÃO JILÓ APRENDEU A LIÇÃO. NUNCA MAIS DESOBEDECEU À SUA MÃE NEM CAÇOU PASSARINHO!

MORAL DA HISTÓRIA: A NATUREZA SEMPRE CASTIGA DE ALGUM JEITO. E QUEM QUISER QUE LEMBRE OUTRA!
video
Gostou da história? 
 
 
Baixe o vídeo do João Jiló em: http://www.overmundo.com.br/banco/contacao-de-historias-joao-jilo-de-jose-mauro-brant
 
Incentive a cultura , através da Literatura. Adriana

Nenhum comentário:

Postar um comentário